by

Istambul e um pouco mais no fim da Europa. (C/VIDEO)

Share / Partilhar:

Não podia estar na região e não passar uns dias na Turquia, apesar dos custos pois o meu seguro em Portugal não cobre a Turquia e tive de fazer um temporário na fronteira, o mínimo são 3 meses e ficou me em 85EUR a juntar aos 25EUR do visto também obtido na fronteira de Ipsala. Passado esse processo estava legal na Turquia por 3 meses, apesar de só ter ficado por 6 dias, e apenas na parte Europeia. Decidi não entrar na parte Asiática, primeiro por já ter o orçamento muito curto e em segundo por acreditar que aquele poderá ser o ponto de partida para outra aventura no futuro, deixo essa porta aberta.

Quanto ao país em si, a comida e o combustível são bastante baratos, apesar de 6 dias não chegarem para compensar o que deixei na fronteira mas sempre ajuda. Fiz uma paragem em Tekirdag para me ambientar um pouco ao pais e perceber como funcionam as coisas antes de entrar na capital. Percebi que há bastante investimento por parte do governo na melhoria das condições gerais do pais, fiz praticamente toda a viagem dentro da Turquia por via rápida sem quaisquer custos, as localidades pareceram me geralmente cuidadas especialmente aquelas a beira mar, com bons passeios marítimos e belos jardins, ter vindo da Grécia deve ter ajudado porque não esperava mais limpeza e organização mas enganei me.

As pessoas são pobres geralmente e os salários baixos, mas dão um jeito, há trabalho, muita produção agrícola e têxtil especialmente, alem dos funcionários públicos e comercio normais, fora das cidades e no interior especialmente notei condições um pouco piores e alguns bairros de barracas, mas nas cidades nada de muito diferente de uma qualquer cidade Europeia.

Istambul… bem nunca tinha estado numa cidade tão grande, para quem nunca conduziu até lá posso dizer para terem um noção que 50kms antes do centro histórico já estava dentro da cidade, entrei de madrugada perto das 4 da manhã para conseguir conduzir tranquilamente e encontrar um local para ficar e mesmo assim apanhei transito em alguns pontos, acabei por ficar a cerca de 7kms do centro num bairro enorme só com lojas, armazéns e fabricas de tecidos e afins isto tudo em prédios residenciais, nas caves e pisos térreos. Felizmente e apesar de normalmente andar a pé, a esta distância e com a carrinha num sitio sem quaisquer ponto de referencia tinha o Tram relativamente perto e com acesso direto ao centro.

No centro é uma cidade especial, a parte histórica, a Mesquita Azul, que visitei e é fantástica, o Grand Bazar, uma espécie de mercado tradicional onde se pode encontrar de tudo e dá perfeitamente para nos perdermos lá dentro dada a sua dimensão. Caminhando pela cidade, os cheiros das especiarias e comida quase que nos arrastam para os restaurantes, se resistirmos os empregados dos mesmos arranjam forma de nos convencer a entrar, os doces também são uma perdição. Há também a marginal Kenedy junto ao mar e rio que se prolonga por pelo menos 10km que eu me tenha apercebido porque talvez sejam mais. Vale sem duvida a pena dar um salto a esta porta de entrada para a Ásia, aprender um pouco sobre a cultura muçulmana também poderá ser um fator importante e faz falta nos dias que correm para podermos encarar o mundo de uma forma diferente e mais informada.

Em resumo, pelo menos na parte Europeia (quanto ao resto não posso falar porque ainda não conheço) não se vão sentir estranhos, não é muito diferente de qualquer outro pais da Europa mas as pequenas diferenças que realmente existem fazem desta região uma ótima experiência, e quanto a mim, espero consegui voltar e continuar onde parei numa próxima aventura.

Fiquem com um curto vídeo e algumas fotos destes dias na Turquia para perceberem como é este país.

VIDEO

FOTOS

Para acompanharem mais de perto as minhas aventuras, sigam-me no Instagram , Facebook e Youtube

Share / Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *