by

6 meses a viver numa carrinha – Quanto custou? (C/VIDEO)

Share / Partilhar:

É um dos principais tópicos quando se fala em viver e viajar a tempo inteiro numa carrinha, todos os dias aponto todos os meus gastos para tentar fazer da melhor forma a gestão do meu orçamento e ao fim de 180 dias na estrada estes são os números que vos posso revelar acerca da minha viagem.

A primeira despesa e sem duvida a maior no meu caso é o combustível e ao fim de 14 550 kms tenho um gasto total de 2023€. Um detalhe importante, este ano apesar de estar a viver a tempo inteiro na carrinha estou a viajar com uma rota e tempo definidos o que faz com que viaje bastante mais rápido do que faria normalmente e tendo em conta também que viajo numa carrinha com uma média de consumo a rondar os 12 litros/100km este é um custo que pode ser reduzido para cerca de metade noutra carrinha e com uma rota menos ambiciosa. Nesta parcela incluo também as minhas despesas com gás para cozinhar.

A segunda maior despesa não é como seria de esperar a alimentação, mas sim a área que defini como extras. Esta área engloba tudo o que não seja combustível ou alimentação, ou seja manutenção ou acidentes com a carrinha, portagens, seguros extra, despesas de fronteira, multas e bilhetes para visitas ou entradas em alguns espaços ou atividades extra que faça esta área ao fim de 6 meses vai em 1126€, no final deste artigo vou colocar uma tabela com os números apresentados de outra forma com médias diárias e mensais.

Nesta área de despesas a Itália foi até agora o maior inferno. 300€ para um espelho que arranquei a um VW Golf novinho de um italiano, podia por para o seguro, mas em Itália ninguém fala inglês e para evitar confusões e policia fomos a Internet procurar os valores e chegamos a um acordo, na mesma semana tive o problema com o vidro da frente partido, na altura não tinha seguro de quebra de vidros portanto mais 200€, ainda em Itália, aqui por burrice minha porque o combustível em Itália é caro e queria abastecer na Eslovénia a menos de 10 kms da fronteira fiquei sem combustível e com a minha sorte dentro de um túnel, já estava a ser rebocado para fora do túnel por um camionista polaco que passou e me ajudou quando apareceu a policia Italiana e não me livrei de mais 60€. Recentemente foram mais 120€ para substituir o rolamento da roda dianteira da carrinha que se desintegrou.

Seguros extra, a minha carta verde não cobre alguns países, como tal tive de fazer um seguro especifico e obrigatório em algumas fronteiras no caso foi a Bósnia (20€ valido por 7 dias) e da Turquia (85€ valido por 90 dias, era o mínimo) onde tive de pagar o Visto na fronteira também por 25€.
Portagens, aqui entra o túnel do MontBlanc entre Itália e a França (57€), as vinhetas obrigatórias para circular na autoestrada ou simplesmente circular em alguns países (Suiça 42€, Áustria 8€, Bulgária 8€) e mesmo assim escapei a algumas, na Grécia a falta de alternativas e alguns troços em que entrei por engano ficaram me em cerca de 40€ no total.

Também incluo nesta secção 20€ que paguei para subir ao Monte Tremalzo e fazer a volta de bicicleta correspondente, e não vou a museus nem visitar monumentos caso contrario esta conta estaria bem alta.

Tudo o resto são pequenas coisas que surgem na carrinha, taxas de cartões de credito ou cambio e coisas que precisei para o meu dia a dia.

Comida, aqui vou até ao momento com um gasto de 890€ isto inclui todas as despesas de supermercado, refeições fora, cafés, gelados e afins, nesta área também corto bastante e tento fazer as refeições no geral o mais económicas possível e quase sempre cozinho na carrinha.

Resumindo, após 14 550kms, 21 países visitados e 180 dias tenho um gasto total de 4039€, é muito acima do previsto, em especial devido ao consumo elevado da carrinha, e aos extras que não tinha programado, vou tentar baixar a minha média diária nos meses que faltam para terminar esta viagem, se não houverem mais imprevistos espero ficar com uma média abaixo dos 20€ diários que será mesmo assim bastante superior aos 15€ que tinha previsto gastar, de qualquer forma, é com a experiência que se aprende e já sei bem o que tenho de mudar para as próximas aventuras.

Fiquem com a tabela onde organizo todos estes números para terem uma melhor ideia e um pequeno vídeo que fiz acerca deste assunto.

Tabela, 6 meses em viagem

VIDEO

Para acompanharem mais de perto as minhas aventuras, sigam-me no Instagram , Facebook e Youtube

Share / Partilhar:

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *